Salve os tubarões

Os tubarões possuem registros fósseis que datam aproximadamente 400 milhões de anos e nada evoluíram nos últimos 150 milhões de anos, sugerindo um nível de evolução que beira a perfeição. Poucos animais são tão bem equipados, com órgãos sensitivos afinados, estrutura corporal fusiforme e hidrodinâmica, excepcional musculatura tornando-os nadadores letais. Ao redor do planeta são conhecidas cerca de 400 espécies (88 delas no Brasil), com tamanhos que variam de 0,10m a 18m de comprimento. 

Há um acentuado e rápido declínio das populações costeiras de tubarões em todo o planeta, principalmente devido à captura para a coleta de suas nadadeiras e devolução do animal ainda vivo no oceano, prática denominada finning, com relatos desta atividade no Sul do Brasil através da captura de diversas espécies oriundas da pesca com espinhal de superfície e da pesca de emalhe. Somente a espécie Sphyrna (protegida no Brasil), mais conhecida como tubarão martelo, teve uma redução de 89% de suas populações nos últimos 15 anos. O lucro das vendas das nadadeiras é de aproximadamente 50 dólares o quilo, com uma estimativa de 78 milhões de tubarões mortos todos os anos.

Além do mercado de nadadeiras, há o consumo da carne de tubarão comercializada como carne de cação que representa uma das dificuldades envolvidas no controle e manejo da pesca, pois a maior parte das pescarias não registra os desembarques por espécie, mas agrega-os como grupo genérico "cação", dificultando o ordenamento pesqueiro correto, pois cada espécie responde de maneira diferente à pressão da pesca.

 

 

 

 

Mas, então tem tubarões sendo pescados no Brasil todos os dias? Espécies ameaçadas de extinção? Sim, muito provavelmente

Ainda vemos muitos restaurantes, quiosques, principalmente no litoral e mercados por todo o país que vendem a carne de cação. 

E como ajudar? Não coma cação e não financie esse mercado. Cação é qualquer tubarão, seja juvenil ou adulto. Os tubarões estão no topo da teia alimentar, assim como nós, e possuem um nível altíssimo de mercúrio na sua carne. Além de ingerir um animal essencial para a manutenção do ecossistema marinho, pois são responsáveis, por exemplo, por eliminar animais doentes do oceano, você esta ameaçando uma espécie que está no planeta há muito mais tempo que nós e ameaçando todo um ecossistema que suporta a vida na Terra, também é um questão de saúde.

Os altos níveis de ameaça são também causados por serem animais com maturidade sexual tardia e produzirem um pequeno número de descendentes que permanecem dentro do corpo da fêmea por períodos variáveis, o que requer muito gasto energético. Não se reproduzem o ano todo, são bem sucedidos quando os adultos apresentam longas expectativas de vida e os juvenis altas taxas de sobrevivência. 

Mas, juvenis são pescados todos os dias na pesca incidental. Os tubarões precisam, em geral, nadar para respirar e uma vez presos nas redes durante horas, morrem afogados.

Se tiver a oportunidade de mergulhar com esses animais vai perceber o quanto a mídia durante anos criou uma falsa imagem. Enquanto menos de 10 pessoas morrem por ataque de tubarões, criamos uma lista de espécies ameaçadas e exterminamos milhões  deles todos os anos.

Se você ama os oceanos, proteja os tubarões.

Se você depende dos oceanos, proteja os tubarões.

Se você quer um futuro para o nosso planeta, proteja os tubarões.

Referências:

STEVENS, J. D. Sharks, rays and chimaerids: What are they and how are they classified? In: MUSICK, J. A.; BONFIL, R. (eds) Management techniques for elasmobranch fisheries. FAO Fisheries Technical Paper 474. Roma: FAO, 2005.p. 15-16.

SZPILMAN, M. Tubarões no Brasil: guia prático de identificação. Rio de Janeiro: Instituto Ecológico Aqualung, 2004. 160 p.

Defensores do oceano precisamos de você!

fale com a gente!

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
© COPYRIGHT 2017, DIREITOS RESERVADOS SEAMADE PROJECT