Deixem-os livres

"Deixem-os livres" tem como objetivo informar sobre a realidade por trás dos cetáceos (golfinhos e baleias) que vivem em cativeiro para entretenimento humano.

Golfinhos (Stenella longirostris) em vida livre. Foto: Seamadeproject 

Eles morrem para o seu entretenimento. Ele não te contou isso quando você o beijou na piscina. Sim, infelizmente eles não podem contar. Precisamos falar por eles. Acredito que se você já visitou parques aquáticos não sabe o que se passa por trás. Não sabe quantas horas ficaram presos em uma caixa de água para serem transportados. Você não sabe que eles perderam sua família. Mas eles sabem. O cérebro dos golfinhos supera o nosso em muitos aspectos. As fêmeas são mais "treináveis" pro cativeiro por isso, filhos são separados de suas mães. Eles sabem disso. Eles sentem isso. Um indivíduo capturado abala todo o grupo. No Japão, a chacina ocorre todos os anos, treinadores de parques aquáticos do mundo todo escolhem os golfinhos que mais se adaptam ao cativeiro e ao adestramento. Em seguida é um mar de sangue. A carne é vendida. Pessoas comem golfinhos que contém uma porcentagem absurda de mercúrio no sangue. Esses golfinhos "escolhidos" são então transportados com a única preocupação de mantê-los vivos para passar a vida inteira em uma piscina branca com cloro.

Há casos de fêmeas que impedem bebês de respirar, talvez para que não cresçam em cativeiro. Recebem todos os dias antibióticos, medicamentos para úlcera e vitaminas devido à alimentação debilitada. Nenhum animal deve ser aprisionado sem ter escolhido por isso. Muito menos de maneira tão cruel. Não pague pela crueldade. Torça para encontra-los onde devem estar, no oceano. E deixem-os viver. Livres. Assista o documentário "The Cove" no Netflix.

E, o que posso fazer?

Defensores do oceano precisamos de você!

fale com a gente!

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
© COPYRIGHT 2017, DIREITOS RESERVADOS SEAMADE PROJECT